Dicas   

     Cuidando dos seus pés

     Os pés são certamente os melhores amigos do caminhante. Temos a obrigação de dedicar uma atenção especial a eles, pois são uma das partes do corpo que mais acumulam tensão. Não é para menos: passam o dia todo carregando peso. A higiene também é importantíssima.

     Antes da trilha
1. Não use meias muito volumosas ou com costuras. Prefira as sintéticas.
2. Amacie as botas antes de utilizá-las em uma longa caminhada. Nunca use sua botas pela primeira vez em uma trilha.
3. Prenda os pés firme dentro do calçado, evitando que eles se mexam demais, mas não muito apertado.
4. Mantenha os pés limpos e secos.
5. Uma dica para evitar as bolhas é passar vaselina entre os dedos. O produto diminui o atrito entre os dedos, e o atrito da meia contra a pele, revelando-se um fantástico e escorregadio preventivo contra bolhas. Muitos trilheiros seguiram viagem aliviados após descobrirem este macete.
6. Vale também lembrar que não é interessante tomar banho antes de começar a andar, principalmente com água quente e durante muito tempo, pois a pele dos pés amolece e fica mais propensa a bolhas.

     Caminhando e parando
1. Troque as meias ao longo do dia, à medida que vão ficando molhadas.
2. Se os pés estiverem doloridos aproveite as paradas para diminuir a tensão: molhe-os de cinco a dez minutos num rio de água fria. Deite-se no chão com os pés levantados sobre uma pedra ou uma mochila.
3. Em caso de aparecimento de bolhas, limpe bem a área com sabão e água . Se a bolha estiver muito inchada, faça um furo com uma agulha desinfetada para deixar o fluido interno escorrer. Nunca retire a pele. Aplique anti-séptico e cubra a bolha com um curativo.
4. Ao término de cada dia de caminhada devemos lavar os pés cuidadosamente. Depois de limpos, o melhor é verificar se há alguma bolha ou irritação e dispensar o tratamento necessário ao problema. Caso já exista algum curativo que precise ser trocado, não deixe para o dia seguinte, pois a situação poderá se complicar.
5. Tomar sol nos pés e andar um pouco descalço durante as paradas em longas caminhadas são excelentes hábitos. Durante essas trilhas com duração superior a um dia, os pés passam a maioria do dia cobertos e perdem a resistência. Por falta de sol, e pelo excesso de suor, a pele fica fina e sensível, mais sujeita à formação de bolhas e escoriações.
6. Outra medida que seus pés agradeceriam seria utilizar palmilhas de espuma. Essas palmilhas ajudam a amortecer os impactos e absorvem a transpiração que amolece a pele. Podem ser encontradas na maioria das farmácias e lojas especializadas, custam barato e não pesam nada. Além disso, colocando-as para secar ao final de cada dia, recuperam a capacidade de absorção e duram mais.

     Ajudando a relaxar
1. Quer relaxar? Massageie toda a planta do pé, com pressão leve, com os dois polegares, dê pancadinhas sob o calcanhar, gire o pé para um lado e para o outro, separe e puxe cada dedo. Sem tempo para isso? Então pegue uma bolinha de tênis e gire-a sob cada pé enquanto está fazendo outra atividade.

     No dia-a-dia
1. Pés úmidos estão mais sujeitos ao ataque de fungos, causadores de frieiras e micoses. Dê um chute na preguiça - seque bem os pés. Evite andar descalço em lugares públicos, para não correr riscos.
2. Pele seca pede uma hidratação reforçada. Uma vez por semana, após lavar e secar bem os pés. Aplique um esfoliante, para remover as células mortas. Depois passe um hidratante, de preferência à base de uréia e óleo de gergelim. Para aumentar a absorção do creme, envolva os pés com uma toalha quente e deixe agir por 15 minutos. Mas se sua pele está tão ressecada que chegou a rachar, é hora de visitar um podólogo.
3. Os calos são uma resposta do organismo às agressões. O ideal é mudar para calçados adequados a seus pés. Não dá? Apele para os protetores de silicone. Se o caso é grave, procure um podólogo formado.
4. Sapatos apertados também provocam o encravamento das unhas. Evite deixá-las comprida e arredondas nas laterais, siga a anatomia dos dedos. E nunca retire as cutículas dos pés e das mãos, elas protegem contra o ingresso de fungos e bactérias que dão origem a doenças por todo o organismo. Em todo mundo, exceto no Brasil, o profissional que as retirar está sujeito até a prisão por crime contra a saúde. O truque, quanto à estética, é empurrar, retirar pele morta, lixar e hidratar.
5. Joanetes são um caso para seu ortopedista resolver. Só ele pode determinar as causas do problema e indicar o tratamento adequado.
6. Micose - Cuide-se, porque o tratamento costuma ser demorado (às vezes mais de seis meses). Normalmente são provocadas por fungos, como a pé-de-atleta, (mais conhecidos como frieira). Os sintomas mais comuns são: coceiras, unhas esbranquiçadas, deformadas e até descoladas dos dedos, e descamação na planta dos pés. Se não chegou ainda a esse ponto, não facilite: enxugue bem os pés depois do banho. Um truque é aproveitar o secador de cabelos para eliminar toda a umidade entre os dedos.
7. Rachaduras - Além de serem sinal de desleixo, podem virar porta de entrada para fungos e bactérias. O quadro pode ser revertido com hidratação intensa.
8. Descamação - Se ocorre no meio da planta dos pés, provavelmente a pele pode está contaminada por fungos. No caso, procure um dermatologista. Mas se a pele estiver descamando no local onde há atrito com o sapato, a solução é usar um modelo mais adequado a seus pés, lixar ou esfoliar levemente os pés, e não relaxar na hidratação, que acaba com o ressecamento.
9. Bromidrose (chulé) - Fique tranqüilo, diferente do que todo mundo pensa, aquele cheiro insuportável não tem origem nos seus pés, mas é fruto de um descuido na higiene de pés e calçados. O odor é provocado pela decomposição de peles mortas, originadas do exercício mecânico do caminhar. Para evitar e tratar é só utilizar meias de algodão, palmilhas protetoras para calçado e alternar os sapatos a cada uso.


Fontes:
Bem Star
Compostela